Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Notícias e artigos

Acisbs recebe representantes do Hospital e da Polícia Civil

A reunião de diretoria da Associação Empresarial (Acisbs) nesta segunda-feira, 08, que reuniu ainda, membros do conselho deliberativo e consultivo, teve como principais temas a saúde e a segurança. Para tratar dessas áreas, participaram do encontro o gestor executivo corporativo do Hospital e Maternidade Sagrada Família, Fernando Castanheira, e o delegado da 21ª Delegacia Regional de Polícia, Rubens Almeida Passos de Freitas, que apresentaram informações sobre as duas instituições. “O objetivo do encontro é receber as demandas, unir forças entre as entidades e buscar soluções para as principais demandas do município” ressaltou o presidente, Mário Nenevê.

Castanheira, que assumiu a administração do Hospital e Maternidade Sagrada Família, esclareceu que os efeitos do processo de falência, no Brasil, da rede sem fins lucrativos que são voltados ao SUS, estão buscando a sobrevivência com base no equilíbrio econômico e financeiro e nos recursos que garantam a qualidade dos serviços prestados. Ele apresentou alguns números da entidade, que atende as populações de São Bento, Campo Alegre e Rio Negrinho, o que equivale a 134.530 habitantes. São 88 leitos, sendo 57 destinados ao SUS e 31 a outros convênios. Já os atendimentos de urgência e emergência chegam a 10.390 por mês, sendo 8.041 pelo SUS e 2.340 outros convênios. Das internações são 538 por mês, 342 pelo SUS e 199 outros convênios, e o tempo de permanência de 3,14 dias. A média de cirurgias é de 363 por mês. O Hospital possui 250 funcionários, serve 18.359 refeições e são 15.630 quilos de roupas lavadas. Realizam 108 partos por mês.

O médico disse que um projeto para modernização do hospital está sendo realizado e após sua conclusão serão feitas análises quanto a permanência unidade na filantropia e a busca por fontes de financiamentos. “O projeto está prevendo um hospital mais sustentável, mais moderno e com equipamentos de referência. Se não agregarmos valor vai fechar” ressaltou o médico. O gestor ainda relatou as dificuldades financeiras e a falta de repasses por parte da prefeitura e estadual, assim como, o problema que envolveu a questão da perda dos mais de 3 milhões do Ministério da Saúde, pela falta de envio da documentação para o destino correto.

Após a apresentação dos representantes do Hospital, a reunião teve a participação do delegado da 21ª Delegacia Regional do município, Rubens Almeida Passos de Freitas, que apresentou os números que tratam do quadro de efetivos da Polícia Civil. Ele falou que quanto ao número de delegados, o município conta com três, sendo que o ideal seria sete. Dos agentes de polícia, são 18 sendo que o ideal seria pelo menos mais 22, totalizando 40. Só neste ano, já foram encaminhados 400 inquéritos para o Fórum de Justiça. “Estes números são os mínimos que precisamos, nada além, sem exageros” disse. Quanto aos equipamentos ele disse que a entidade conta com equipamentos suficientes. “Nós queremos manter a resposta imediata às ocorrências para não gerar sensação de insegurança”.

Participaram do encontro os presidentes dos sindicatos dos lojistas (Sindilojas), moveleiro (Sindusmobil) e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

Índices de SC, quanto aos hospitais – são 222 hospitais sendo 182 da rede privada ou filantrópica, 25 municipais, 14 estaduais e um federal. Ao todo, são 15.191 leitos sendo 77% disponibilizados em hospitais privados ou filantrópicos. São 705 leitos de UTI e 77% estão nos privados e filantrópicos.

Confira os mais recentes