Pesquisar
Close this search box.

Notícias e artigos

Encontro com guia de Gramado abordou desafios e jornadas do Turismo

Na noite de segunda-feira, 05/07, o Núcleo de Turismo realizou um bate-papo com o guia turístico, Sidnei Schroeder, de Gramado. A conversa aconteceu no auditório da Univille e reuniu membros do trade turismo da cidade, de Campo Alegre e Rio Negrinho. “Já residi na cidade e tenho um carinho muito grande. Vocês têm tudo aqui, só precisam fazer a lição de casa”.

 

A abertura foi feita pelo coordenador do Núcleo, Manoel Rodrigues, que falou da importância de o segmento estar reunido, ainda mais, diante da situação de pandemia enfrentada. “Precisamos estar juntos para que consigamos alavancar o turismo na nossa região”, frisou.

 

Sidnei deu um apanhado do histórico do turismo em Gramado desde 1930, quando a cidade não tinha nada, mas já iniciavam as primeiras movimentações. “Em 1958 foi inserido no Plano Diretor o estilo arquitetônico seguido até hoje. Quem não cumpre paga duas vezes mais caro o IPTU e recebe multa”, contou. Neste mesmo ano, ele contou que veio a primeira festa, da Hortênsia, que a cada ano foi crescendo. “Em 1970, tivemos um surto de tuberculose, até isso Gramado utilizou para atrair turistas, dizendo que ali, era um ótimo local para curar a doença”. Ele destacou que na década de 60, que surgiu a primeira indústria de calçados, a Ortopé, e a primeira mostra de cinema do Brasil. Em 1973, se transformou no Festival Internacional de Cinema.

 

Quanto ao famoso Natal, o guia diz que foi em 1986, que um padre quis fazer um Natal diferente – hoje o Natal Luz. “Mas no dia do lançamento, onde 500 vozes cantariam ao ar livre, caiu uma chuva que prejudicou o evento”. Ele contou que 1992 decidiram enfeitar a cidade, mas sem dinheiro, contaram com o trabalho dos artesãos locais, que se utilizaram de material reciclável para decorar toda a cidade. “O voluntariado é bonito, mas não tem compromisso. E hoje, todos recebem para trabalhar no Natal de Gramado. São 102 noites de Natal, que começa em outubro e termina em janeiro. A Páscoa tem a duração de um mês”.

 

Na segunda parte do encontro, Sidnei falou do município e região, dando dicas e sugestões aos participantes. “É necessário fazer uma avaliação dos serviços e do atendimento. O turismo é de segunda a segunda, a fórmula é se colocar no lugar do outro. Chegando na cidade não vi nada de sinalização, isso precisa ser feito urgente. Pois como trazer turista sem indicar onde fica a cidade?”, indagou. Para o guia, para o turismo alavancar, é necessário encantamento, segurança (não policial, mas sim, que os atrativos sejam seguros), além de sinalização adequada e divulgação. “Nada de papelzinho nas avaliações, hoje contamos com a internet, vocês precisam utilizar o Tripadvisor, sugerir ao cliente que o avalie seu estabelecimento pela ferramenta”.

 

O profissional falou que as viagens internacionais devem voltar apenas no segundo semestre de 2022, para quem tem agendamento. “A previsão de retomada mesmo é apenas a partir de 2023. Israel, por exemplo, onde já estive por 32 vezes, está aceitando apenas 4 mil pessoas por mês. Então, vocês têm um ano e meio para trabalhar e destacar a região”. Ele ainda disse que é necessário estar preparado para receber os grupos acima de 60 anos, que após a vacina, vão retomar as viagens.

 

O Guia – é formado pelo Curso de Guia de Turismo Nacional e América do Sul em 1999, mas mesmo antes da regularização, já exercia a função em diversos estados do Brasil. No ano de 2011, começou a acompanhar grupos de turismo religioso pela Europa.

 

Alimentos – o encontro contou com a arrecadação de alimentos que serão agregados à campanha de arrecadação de alimentos do Núcleo Regional de Cooperativas, que arrecadou mais de 3 toneladas. Os alimentos serão destinados nesta semana aos hospitais de São Bento, Campo Alegre e Rio Negrinho. 

 

Confira os mais recentes