Pesquisar
Close this search box.

Notícias e artigos

Observatório Social e Cerene na Acisbs

Em mais uma edição do Diálogos Institucionais da Associação Empresarial (Acisbs), nesta segunda-feira, 20, participaram representantes do Observatório Social e do Centro de Recuperação Nova Esperança (Cerene). O encontro aconteceu na Acisbs e teve a participação de integrantes da diretoria.

O voluntário do Observatório Social de São Bento do Sul, José Canísio Tschoeke, iniciou a apresentação contando que a entidade sem fins lucrativos se originou no Paraná, e que é um espaço democrático, apartidário e visa monitorar a aplicação dos recursos públicos. “O Observatório atua preventivamente”, destaca.  Atualmente a entidade está instalada no Centro de Gestão Empresarial, juntamente com a Acisbs. “Primamos pelo trabalho técnico, utilizando metodologia padronizada de trabalho pelo Observatório do Brasil” destacou.

Canísio também destacou as principais atividades do Observatório, entre elas, o acompanhamento das compras públicas, desde a publicação do edital até a entrega dos bens ou serviços. A licitação, por exemplo, divide-se em três etapas, o monitoramento da publicação do edital, do certame e a homologação. Ele também destacou que para continuar contribuindo com o município, o Observatório local precisa de mais voluntários e de recursos para a manutenção da entidade. A Acisbs apoia o Observatório cedendo o local, além de custos com telefone e energia. Também os núcleos multissetoriais vêm realizando uma integração com a entidade para verificar qual a melhor forma de apoiar.           

O diretor do Centro de Recuperação Nova Esperança (Cerene), Otto Müller, também apresentou a instituição e falou das ações realizadas no município. São seis unidades: Blumenau, Palhoça, Lapa, Ituporanga, Joinville e São Bento do Sul. Sendo a de Blumenau a mais antiga, com 28 anos. No município são 35 acolhimentos adultos, sete para adolescentes e 10 para reinserção social e/ou acolhimento república. Além do acolhimento o Cerene oferece ainda atendimento psicológico e médico; projeto terapêutico individualizado; terapia individual e de grupo; entre outros. Ao todo, o Cerene disponibiliza 260 vagas e 75 profissionais. “Em 28 anos, 11 mil pessoas já foram atendidas e anualmente são feitas mais de 1.800 visitas a famílias por meio do projeto Renovar e Sobriedade no município e em Palhoça.

Müller contou que o custo por pessoa é de R$ 2.150,00 ao Cerene, sendo que 50% vem da família do paciente, de parcerias ou convênios. Para contribuir com o Cerene, as empresas ou pessoas podem realizar doações espontâneas; via fatura da Celesc e Samae; dedução de doação do imposto de renda via Fundo para a Infância e Adolescência (FIA), doação de produtos como alimentos, materiais de construção, de expediente, limpeza, combustível, equipamentos entre computadores e eletrodomésticos, e a aquisição de sucos.

Próximos Diálogos – no dia 06 de março, às 17h30, a Acisbs vai receber a prefeita de São Cristóvão do Sul, Sisi Blind, cidade que abriga uma das penitenciárias de Santa Catarina. A ideia é conhecer a experiência do município quanto ao recebimento da obra do governo do Estado. E no dia 13 de março, o encontro é com o prefeito Magno Bollmann, cumprindo a agenda proposta por meio do protocolo de intenções, elaborado pela Acisbs, durante o período eleitoral de 2016. 

 

 

Confira os mais recentes